28.2.10

Soneto da Alma

Não sou poeta, nem poetisa. Sou uma iludida!
Iludida com a arte da escrita
Escrita que pode se tornar poesia
Poesia não corre em minhas veias

O que corre em minhas veias é o sangue
Sangue púrpuro, denso e veloz
Veloz a ponto de causar-me ânsia
Ânsia de viver em paz

Mas a paz que almejo
Não conseguirei neste mundo
Repleto de injúrias, calúnias e imundo

Minha paz será alcançada
Quando, em algumas linhas puder expressar
O sentimento de amor que minha alma guardar

Um comentário:

  1. mora na filosofia pra que rimar...amor e dor

    Monsueto

    ResponderExcluir